Escócia publica projeto sobre plebiscito de independência

Primeiro-ministro diz que debate é 'mais forte e mais urgente' por conta da crise econômica

Efe,

25 de fevereiro de 2010 | 12h32

O governo da Escócia, do nacionalista Alex Salmond, publicou nesta quinta-feira, 25, a minuta de um projeto de lei para a realização de um plebiscito sobre a independência da nação do Reino Unido.

 

Segundo os detalhes da minuta, que será submetida à consulta de outros partidos, os eleitores terão duas opções: apoiar a entrega de novos poderes ao Parlamento de Edimburgo ou respaldar a plena independência da Escócia do Reino Unido. A consulta dessa minuta durará até depois das eleições gerais, previstas para o próximo mês de maio.

 

O partido de Salmond, o Nacionalista Escocês (SNP), considera que a Escócia, que já tem seu Parlamento (Holyrood) e competências em áreas como educação, saúde e habitação, necessita da independência para ter maiores lucros econômicos. "O governo escocês acredita na soberania da população", disse Salmond. Ele assegurou que seu partido está comprometido a brindá-lo com "a oportunidade de expressar seu ponto de vista em um plebiscito".

 

"Depois de mais de dez anos da criação do Parlamento escocês, o debate na Escócia já não é sobre se o Parlamento deveria assumir novas responsabilidades, mas a forma da mudança", ressaltou o líder nacionalista. Salmond acrescentou que o debate sobre a independência da Escócia é "mais forte e mais urgente" por causa da crise econômica. Essa iniciativa tem, no entanto, poucas probabilidades de dar certo, dada a minoria parlamentar da qual dispõe o SNP.

 

Ao plebiscito se opõem os trabalhistas, os conservadores e os liberais-democratas. Já os verdes - com duas cadeiras no Parlamento de Edimburgo - são os únicos que apoiam o projeto. O SNP, com 47 membros em Holyrood, necessitaria do respaldo dos verdes e de outros 16 membros para obter a maioria que necessita a fim de aprovar a convocação do plebiscito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.