Eslovênia seguirá política da UE em relação ao Kosovo

UE e Estados Unidos apoiaram a separação da província que Sérvia vê como seu 'coração histórico e religioso'

Efe,

17 de fevereiro de 2008 | 18h55

A Eslovênia, que exerce a Presidência semestral da União Européia (UE), seguirá a política adotada em conjunto com os membros do bloco em relação à proclamação da independência do Kosovo, afirmou neste domingo, 17, o chefe do governo esloveno, Janez Jansa. A UE e os Estados Unidos apoiaram a separação da província que os sérvios vêem como seu "coração histórico e religioso".   Veja também:   Kosovo declara independência da Sérvia Kosovo tem explosões e tensão após independência 'Sérvia nunca reconhecerá o Kosovo', diz presidente Rússia quer que ONU anule independência de Kosovo Conselho de Segurança se reúne para discutir Kosovo Kosovo: independência aumenta abismo entre Rússia e Ocidente Entenda o que está em jogo em Kosovo Mapa: a disputa dos Bálcãs    Em comunicado publicado no site do governo, Jansa disse que o país "espera que todas as partes envolvidas atuem razoavelmente e se abstenham de todo tipo de violência". Jansa acrescentou que, como presidente do Conselho da UE, a Eslovênia defende que o bloco "satisfaça as expectativas na região dos Bálcãs e vice-versa".   Ele afirmou que os países que queiram entrar na UE deverão cumprir as condições necessárias. O primeiro-ministro enfatizou que a proclamação da independência do Kosovo, realizada neste domingo em Pristina, já era esperada. "Ocorreu depois que todas as possibilidades de uma solução de consenso foram esgotadas em longas negociações e quando amadureceu a idéia de que a situação atual é insustentável a longo prazo", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.