Espanha detém cinco brasileiros envolvidos em rede de exploração sexual

Grupo atraía mulheres com falsas promessas de trabalho; outros oito foram presos

Efe

16 de março de 2012 | 08h24

PAMPLONA - Um total de 13 homens - entre eles cinco brasileiros e - foram detidos por suposta participação em uma rede internacional de exploração sexual na Espanha que utilizava mulheres do Brasil e da República Dominicana, informaram nesta sexta-feira, 16, as autoridades espanholas.

 

As mulheres eram atraídas em regiões pobres do Brasil e da República Dominicana com falsas promessas de trabalho na Espanha, onde chegavam de avião como turistas, de acordo com a Guarda Civil espanhola. Depois de desembarcarem no país, as vítimas eram exploradas sexualmente em bordéis da região de Navarra (norte), nos quais também era permitido o consumo de cocaína, segundo as fontes.

 

Os detidos, com idades entre 23 e 59 anos, são cinco brasileiros, três dominicanos e cinco espanhóis. Outras seis pessoas foram acusadas por seu suposto envolvimento na rede. Nas operações policiais, foi descoberto na residência de um dos detidos um laboratório clandestino para adulterar e distribuir cocaína.

 

Os integrantes da rede também favoreciam os casamentos das mulheres com cidadãos espanhóis, aos quais pagavam um mínimo de 1,5 mil euros para evitar que fossem deportadas por sua situação irregular.

 

Nos clubes, as vítimas trabalhavam cerca de 12 horas seguidas diárias, chegando a fazer apenas uma refeição ao dia, e tinham que cumprir regras rigorosas, caso contrário eram multadas.

Tudo o que sabemos sobre:
EspanhaprostituiçãoEuropa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.