Espanha e Rússia expulsam diplomatas mutuamente

Dois diplomatas russos foram expulsos da Espanha por supostas acusações de espionagem e a Rússia respondeu de forma equivalente, informou o governo espanhol nesta terça-feira.

REUTERS

28 de dezembro de 2010 | 14h51

Foi a mais recente de uma série de expulsões mútuas ocorridas nos últimos tempos, que de acordo com a mídia espanhola, teriam sido motivadas por acusações de espionagem.

Dois secretários da embaixada da Rússia em Madri foram "convidados para se retirar há cerca de um mês porque realizaram atividades incompatíveis com seus cargos", disse um porta-voz do Ministério de Relações Exteriores espanhol.

"Naturalmente, a Rússia tomou uma medida recíproca."

A Grã-Bretanha também anunciou na semana passada que expulsou um diplomata russo por espionagem, e que a Rússia havia respondido da mesma forma.

As expulsões da Espanha não foram divulgadas na época. Segundo o jornal El País, dois russos teriam realizado espionagem econômica e o diretor do Centro de Inteligência da Espanha havia solicitado as expulsões.

A Espanha considera o caso encerrado, disse o porta-voz do Ministério de Relações Exteriores. Ele não quis comentar sobre as informações divulgadas no El País sobre a questão de espionagem.

A Espanha não anunciou as expulsões porque não queria prejudicar a agenda intensa de visitas de autoridades importantes em 2011 para programas culturais, disse o El País.

A Rússia irá comemorar o "Ano da Espanha" no próximo ano, enquanto a Espanha comemorará o "Ano da Rússia."

(Reportagem de Itziar Reinlein)

Tudo o que sabemos sobre:
ESPANHARUSSIADIPLOMATAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.