Espanha nega que príncipe Felipe tenha reunião com Chávez

O príncipe Felipe de Asturias nãopretende reunir-se com o presidente venezuelano, Hugo Chávez,depois de o pai dele, o rei Juan Carlos, ter mandado odirigente da Venezuela calar a boca, afirmou na sexta-feira avice-primeira-ministra da Espanha, María Teresa Fernández de laVega. O Ministério das Relações Exteriores do país europeuaventou na quarta-feira a possibilidade de haver um encontroinformal entre Chávez e o herdeiro da coroa espanhola quandoambos comparecerem à cerimônia de posse da nova presidenteargentina, neste fim de semana. Chávez exigiu que o rei da Espanha peça desculpas por suasdeclarações e, na quarta-feira, afirmou que o príncipe lheentregaria uma mensagem pessoal do rei quando os dois sereunissem em Buenos Aires. A vice-primeira-ministra afirmou na sexta-feira que nenhumpedido formal fora feito para a realização de um encontro dotipo e que nenhuma reunião especial estava prevista. "Pode haver uma saudação protocolar, nada mais", afirmou Dela Vega em uma entrevista coletiva realizada diante do Conselhode Ministros. "Prevê-se apenas que, se o presidente daVenezuela comparecer, pode acontecer uma saudação protocolar daparte do príncipe de Asturias." O rei Juan Carlos mandou Chávez se calar depois de opresidente venezuelano ter chamado o ex-primeiro-ministroespanhol José María Aznar de "fascista" várias vezes, duranteuma cúpula realizada no Chile, no mês passado. Chávez, que já insultou dirigentes de outros países empúblico, respondeu afirmando que reavaliaria a situação dasempresas espanholas presentes na Venezuela. Em um sinal de que diminuíam as tensões, o presidentevenezuelano afirmou na quarta-feira que "saudava" a mensagemenviada a ele pelo rei espanhol por conta da tranquilidadeverificada no plebiscito constitucional de domingo, do qualChávez saiu derrotado. REUTERS FE

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.