Espanha prende nove e desmantela célula mais ativa do ETA

Unidade Vizcaya é acusada de matar 3 políciais e membro do partido Socialista desde o 2º semetre de 2007

ANDREW HAY E TERESA LARRAZ, REUTERS

22 de julho de 2008 | 08h28

A polícia espanhola prendeu nove supostos membros do ETA nesta terça-feira,22, em uma operação que desmantelou a unidade de guerrilha mais ativa do grupo separtista basco, acusado de várias mortes recentes, informou o governo.   A polícia fez ataques surpresas em Bilbao, Getxo e Elorrio, na região de Vizcaya do País Basco, durante as primeiras horas de terça-feira, segundo a mídia espanhola. "Esta é uma manhã especial, porque hoje mos sentimos um pouco mais livres, porque vários terroristas foram presos", disse Rodolfo Ares, líder do Partido Socialista Basco. A operação foi supervisionada pelo juiz Baltasar Garzón, conhecido por lidar com importantes casos civis e relacionados ao ETA. A unidade Vizcaya é acusada de matar três policiais civis e um membro do conselho do partido Socialista após o fim do cessar-fogo do ETA, em junho de 2007. O governo socialista da Espanha diz que o ETA, considerado um grupo terrorista pela União Européia e pelos Estados Unidos, está seriamente enfraquecido por uma série de prisões de integrantes importantes do grupo. Mas isso não impediu o grupo de fazer mais de doze ataques e dois assassinatos neste ano. O ETA declarou um cessar-fogo em março de 2006, alimentando as esperanças de que terminasse a campanha de quarenta anos por um Estado basco independente, que matou mais de 800 pessoas em tiroteios e ataques a bomba. O primeiro-ministro espanhol, José Luis Rodriguez Zapatero, encerrou as negociações de paz com o grupo depois que este matou duas pessoas em um ataque ao aeroporto de Madri, em dezembro de 2006. O ETA encerrou seu cessar-fogo oficialmente em junho do ano passado. A polícia conseguiu as informações finais necessárias para a operação de terça-feira, depois que quatro pequenas bombas explodiram em hotéis do norte da Espanha no domingo, informou a imprensa local. Os ataques em Laredo e Noja, nos quais ninguém se feriu, marcaram o início da tradicional temporada de ataques de verão do grupo separatista, cujos alvos são os pontos turísticos mais importantes.   Matéria atualizada às 10h20.

Tudo o que sabemos sobre:
EspanhaETA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.