Esquerda grega promete congelar privatizações e corte de salários

O líder do partido radical de esquerda grego Syriza, Alexis Tsipras, disse nesta sexta-feira que vai manter o controle de companhias estratégias nas mãos do governo e prometeu congelar os cortes de salários e aposentadorias exigidos pelos credores internacionais se vencer as eleições deste mês no país.

REUTERS

01 de junho de 2012 | 07h52

Ao divulgar o programa econômico do partido antes da votação de 17 de junho, Tsipras disse que também vai adotar medidas para aliviar o peso das dívidas das famílias com sobrecarregadas com empréstimos e reduzir o imposto de valor agregado (VAT), especialmente nos itens de alimentação básica.

Tsipras repetiu que a Grécia deve abandonar o pacote de resgate internacional, afirmando que a ajuda não conseguiu livrar o país da crise econômica e pode impedir o governo de ter acesso a financiamento no mercado internacional nesta década.

Pesquisas de opinião mostram o partido de Tsipras numa corrida bastante apertada com os conservadores, que defendem o resgate da UE/FMI à Grécia.

(Reportagem de Lefteris Papadimas e George Georgiopoulos)

Mais conteúdo sobre:
GRECIAESQUERDAPRIVATIZACOES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.