Estudante que planejava matar 22 é preso na Hungria, diz agência

Um estudante húngaro de 22 anos que disse à polícia que planejava matar 22 pessoas aleatórias porque teve "22 anos ruins" foi detido, informou a agência de notícias MTI nesta sexta-feira.

REUTERS

12 de fevereiro de 2010 | 17h25

O homem, identificado pela polícia como "Abel S.", era um atirador esportivo, tinha uma pistola Luger Parabellum e esteve planejando o ataque por mais de um ano e meio, informou a MTI, citando o diretor criminal da polícia de Budapeste, Zsolt Bodna.

O estudante afirmou que queria matar 22 pessoas em sua universidade e em um shopping "porque teve 22 anos ruins", disse a agência citando Bodnar.

A polícia não comentou imediatamente o caso.

O homem confessou o plano e disse que sentia uma "atração doentia" pelos massacres escolares que aconteceram em outros países, segundo a polícia.

O suspeito também confessou que levou a arma à universidade e ao shopping, acrescentou Bodnar.

A polícia deteve o homem e fez buscas em sua casa, onde apreendeu sua arma e um computador pessoal com uma foto de um massacre de 1999 no fundo de tela, informou a MTI.

Em novembro de 2009, um estudante abriu fogo em uma universidade em Pecs, no sul da Hungria, matando um colega de classe e ferindo outras três pessoas.

(Reportagem de Krisztina Than)

Tudo o que sabemos sobre:
HUNGRIAJOVEMPRESO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.