ETA acusa Zapatero de seguir caminho de antecessores

Em entrevista, grupo separatista diz que governo espanhol não realizou uma verdadeira transição democrática

Efe,

04 de janeiro de 2008 | 17h12

O grupo separatista basco ETA acusou o presidente espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, de ter seguido o mesmo caminho à frente do Executivo que seus antecessores, Felipe González e José María Aznar. Em sua edição digital, o diário basco Gara publicou nesta sexta-feira, 4, parte da entrevista com o grupo terrorista, que será divulgada na íntegra no sábado, 5, sob o título: "O fundamental não é se está o PSOE (Partido Socialista) ou o PP (Partido Popular), mas que o Estado espanhol reconheça os direitos de Euskal Herria (País Basco)". Na entrevista, o ETA afirma que "o Estado espanhol não realizou uma verdadeira transição democrática" e diz que Zapatero seguiu o mesmo caminho que González e Aznar. Segundo o grupo, o presidente perdeu uma boa oportunidade para reformar o estado fascista que governa e deixar que o País Basco siga o caminho que deseja. O grupo separatista insiste que o povo basco "tem o direito a ter o seu próprio desenvolvimento" e reforça que na Europa existem outros exemplos, como Escócia e Kosovo. "Não estamos falando de utopias". "Um povo, para garantir sua sobrevivência, deve saber se estruturar, e é nesse contexto que situamos o nosso: soberano, com seu próprio Estado", afirma a organização, que espera que o processo "seja gradual". O ETA também pede à sociedade basca que "multiplique os trabalhos de reconstrução e que se organize na luta".

Tudo o que sabemos sobre:
ETA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.