Efe
Efe

ETA planejou matar o rei da Espanha em 2004, diz ministro

Grupo separatista cogitava usar mísseis terra-ar para derrubar aviões que transportassem o monarca

AP,

13 de abril de 2009 | 12h12

O ministro do Interior da Espanha, Alfredo Perez Rubalcaba, acusou o grupo separatista basco ETA de planejar o assassinato do rei Juan Carlos em 2004. Em uma coletiva de imprensa, nesta segunda-feira, 13, o ministro disse que o plano foi descoberto cinco anos atrás. A ETA cogitava usar mísseis terra-ar para derrubar aviões ou helicópteros que transportassem o monarca.

No final de semana, o jornal 'El Correo' publicou que vários CDs encontrados em esconderijos da ETA na França e na Espanha revelavam os planos contra o rei. É verdade que havia planos, mas não foram concretizados", disse Rubalcaba.

Em 1995, a polícia espanhola desmontou uma trama para atirar no rei com um rifle de longo alcance enquanto Juan Carlos passava as férias em Palma de Mallorca.

No domingo, o grupo divulgou um comunicado no qual anunciou que seu alvo prioritário seria o novo governo regional do País Basco, o primeiro desde 1980 que não defende a independência da região.

Tudo o que sabemos sobre:
EspanhaETA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.