ETA reivindica assassinato de ex-vereador da Espanha

O ETA reivindicou, em um comunicadoenviado nesta terça-feira ao jornal basco Gara, cinco atentadoscometidos nos últimos meses, entre eles o assassinato doex-vereador socialista Isaías Carrasco, ocorrido três diasantes das eleições gerais de 9 de março na Espanha. Além da morte de Carrasco, o grupo separatista basco assumea responsabilidade por outros quatro atentados, segundoinformou o Gara em sua página na Internet. No texto, cujo conteúdo integral será publicado naquarta-feira, o ETA afirma que os acordos políticos cujosobjetivos são "perpetuar a opressão e negação de Euskal Herria"prolongarão o conflito. "Impor outro ciclo autônomo espanhol a Euskal Herriaaprofundará a dissolução e o processo de assimilação do nossopovo", advertiu o ETA no comunicado sobre os possíveis acordosque podem ser estabelecidos na atual legislatura. O ETA pede aos socialistas de Navarra e do País Basco quese afastem do que qualifica como "estratégia selvagem". "Acharam que o ETA fosse ficar de braços cruzados enquantose tortura, se detém, se condena pela vida ou se banem partidoscom total impunidade?", pergunta o movimento aos militantessocialistas no comunicado.O grupo armado critica o primeiro-ministro espanhol, José LuisRodríguez Zapatero, dizendo que ele estendeu a repressão "atodos os âmbitos" e indica que o atual presidente segue osmesmos passos que seu antecessor, José María Aznar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.