EUA e Rússia chegam a acordo para redução de arsenal nuclear

Tratado será assinado dia 8 de abril em Praga; Obama vê novo começo entre os dois países

estadão.com.br

26 de março de 2010 | 11h20

 

WASHINGTON - Os presidentes dos EUA, Barack Obama, e da Rússia, Dimitri Medvedev, finalizaram os últimos detalhes do novo Tratado de Redução de Armas Estratégicas (Start, na sigla em inglês) nesta sexta-feira, 26, por telefone. O novo acordo substituirá  o antigo, de 1991, cuja validade havia expirado em dezembro de 2009. O anúncio foi feito na Casa Branca por Obama, pela secretária de Estado, Hillary Clinton e pelo secretário de Defesa, Robert Gates.

Veja também:

linkAcordo 'eleva nível das relações', diz Rússia

link Obama vê novo começo com a Rússia

link Rússia e EUA querem conter proliferação nuclear, diz Hillary

Segundo a Casa Branca, o novo acordo impõe uma redução de 1/3 no arsenal nuclear dos dois países, que detêm 90% das armas atômicas mundiais. Haverá um limite de 1,5 mil  ogivas e 800 plataformas de lançamento que podem ser mantidas por casa país. Além disso, Rússia e EUA poderão ter no máximo 700 mísseis intercontinentais e submarinos.

 

O acordo será assinado por Obama e Medvedev no próximo dia 8 de abril em Praga, na República Checa, onde no ano passado o presidente americano fez um discurso defendendo a necessidade de um mundo sem armas nucleares.

 

O novo Start terá a duração de uma década, mas ambas as partes podem concordar em estendê-lo por mais cinco anos. O pacto, de acordo com o governo americano, também representa "o comprometimento da Rússia em restabelecer relações em vários aspectos". Os termos do tratado, porém, não afetarão os planos americanos de estabelecer um sistema de escudo de mísseis na Europa, projeto que tem sido criticado pelos russos.

 

"Esse acordo histórico é um avanço na segurança de ambos os países e reafirma a liderança dos EUA e da Rússia na questão da redução nuclear e da não-proliferação global", disse a Casa Branca por meio de comunicado. O governo ainda detalhou que o acordo será assinado pelos presidentes no dia 8 de abril, em Praga, na República Checa, conforme haviam adiantado autoridades americanas na quarta-feira.

 

Nos últimos dias, ambos os países disseram repetidas vezes que o acordo estava próximo. Uma fonte de Kremlin havia dito na quarta que "havia consenso sobre todos os documentos" e que "eles seriam transcritos."

 

Na semana passada, o ministro de Assuntos Exteriores russo, Serguei Lavrov, e a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, expressaram em Moscou sua confiança na pronta assinatura do novo tratado.

 

Rússia e EUA iniciaram no último dia 9 em Genebra a rodada final de negociações sobre o desarmamento aberta há quase um ano em Londres pelos presidentes Medvedev e Obama.

 

(Com informações da AP, da Reuters e da Efe)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.