EUA e Rússia entram no segundo dia de conversações nucleares

Objetivo do encontro é reformular tratado da Guerra Fria que prevê desarmamento nuclear

Agência Estado

20 de maio de 2009 | 14h46

Estados Unidos e Rússia iniciaram nesta quarta-feira, 20, o segundo dia de negociações para a substituição do Tratado de Redução de Armas Estratégicas (Start, na sigla em inglês), acordo da época da Guerra Fria que prevê o desarmamento nuclear e cujo vencimento é em 5 de dezembro deste ano.

 

A negociações são um passo importante nos planos do presidente americano, Barack Obama, de retomar os laços com a Rússia. Especialistas, entretanto, acreditam que o novo acordo não deva ser fechado antes que o atual tratado expire. Em julho, Obama deve se reunir em Moscou com o presidente russo, Dmitri Medvedev, para discutir o assunto.

 

"O maior problema no caminho para melhorar as relações entre Estados Unidos e Rússia é o colossal nível de desconfiança política", disse Nikolai Zlobin, chefe do Projeto Rússia e Eurásia do Instituto Mundial de Segurança em Washington. "Mesmo se for possível, um dia, superar essa desconfiança, isso não acontecerá em breve", escreveu ele no jornal estatal russo Rossiiskaya Gazeta.

 

Zlobin, entretanto, julga necessário que os dois países cheguem a um acordo sobre o tratado, considerado um marco da estratégia de controle de armas, já que levou a profundos cortes nos arsenais nucleares russos e norte-americanos depois de assinado em 1991.

 

"Eles não podem se dar ao luxo de não chegar a um acordo porque isso significaria não apenas o fracasso de seus esforços para retomar as relações bilaterais, mas seria um irreparável golpe para a segurança global", escreveu.

 

As negociações de dois dias desta semana oficialmente iniciaram o processo para um novo acordo, embora os dois lados tenha realizado vários encontros preliminares. Segundo o porta-voz do ministério do Exterior russo, Igor Lyakin-Frolov, "as conversações serão discretas e ambos os lados divulgarão um comunicado conjunto no final".

Tudo o que sabemos sobre:
RússaEUAarmastratado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.