EUA e Rússia podem chegar a acordo sobre mísseis, diz Putin

Presidente russo afirma que recebeu carta de Bush com a pauta para a instalação do escudo antimísseis

Associated Press, REUTERS

17 de março de 2008 | 13h30

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, afirmou nesta segunda-feira, 17, ter recebido uma carta de seu homólogo americano, George W. Bush, na qual é estabelecida a pauta das negociações entre Washington e Moscou sobre a defesa de mísseis. O líder russo disse acreditar que os dois lados provavelmente conseguirão chegar a um acordo definitivo.   Putin lembrou que seis meses já se passaram desde que ele e Bush encontraram-se para negociar seriamente o polêmico plano americano de defesa de mísseis para a Europa. Numa entrevista coletiva concedida em Moscou depois de um encontro com os secretários de Defesa e de Estado dos EUA, Robert Gates e Condoleezza Rice, respectivamente, Putin opinou que diversas questões pendentes poderão ser resolvidas.   O Kremlin afirma que a proposta americana de instalar dez mísseis interceptores na Polônia e um radar na República Tcheca ameaçam a segurança da Rússia. O governo americano afirma que as instalações são necessárias para a defesa de um possível ataque iraniano. Os Estados Unidos querem construir um sistema que vai permitir a interceptação de mísseis balísticos. Este sistema envolve radares estacionários no Alasca e na Califórnia, nos Estados Unidos e no Reino Unido. Outro radar está planejado para a Groenlândia.   Mísseis antimísseis, ou interceptadores, estão sendo colocados no Alasca (40 deles) e Califórnia (quatro) e o plano é colocar dez deles na Polônia com um radar associado na República Checa. O sistema também prevê a instalação, em navios, de 130 mísseis interceptadores. Os interceptadores funcionam acertando fisicamente o míssil balístico.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.