EUA reconhecem oficialmente a independência de Kosovo

Secretária de Estado americana reafirma a soberania do novo país europeu após declarações de Bush

Associated Press e Efe,

18 de fevereiro de 2008 | 14h25

A secretária de Estado dos EUA, Condoleezza Rice, anunciou que o governo de seu país reconhece formalmente a independência de Kosovo, que declarou sua separação da Sérvia no domingo. "Hoje, os Estados Unidos reconheceram formalmente Kosovo como um país independente. Nós congratulamos o povo de Kosovo nesta ocasião histórica", disse Rice.   Veja também: UE aprova declaração que permite reconhecimento de Kosovo Sérvios protestam contra independência Bush reconhece a independência de Kosovo Sérvia acusa líderes por 'crime contra a ordem' Kosovo luta pelo reconhecimento internacional Guterman: Kosovo independente faz o mundo pisar em ovos  Entenda o que está em jogo em Kosovo Mapa: a disputa dos Bálcãs    Mais cedo, o presidente George W. Bush reconheceu durante a visita oficial à Tanzânia, a proclamação da independência de Kosovo ao afirmar que "agora os kosovares são independentes". "Isso foi algo que eu defendi ao lado de meu governo", declarou Bush numa entrevista concedida à rede de televisão americana NBC.   Ao apelarem diretamente para os EUA e outras nações para que a independência seja reconhecida, os líderes kosovares entraram em rota de colisão com a Sérvia, indignada com a iminente perda de território, e com a Rússia.   Kosovo continuou sendo uma província sérvia mesmo depois de 1999, quando passou a ser administrada pelas Organizações das Nações Unidas e do Tratado do Atlântico Norte. Em abril do ano passado, o enviado especial da ONU Matti Ahtisaari recomendou que o Kosovo obtivesse independência, mas sob supervisão internacional.   A busca por uma solução negociada para o plano foi frustrada pela intransigência dos kosovares, que queriam independência plena, e dos sérvios, que ofereceram somente autonomia. "O plano de Ahtisaari é a base para seguirmos adiante", disse Bush em Dar Es Salaam. "Estaremos atentos aos acontecimentos deste final de semana. Agora os kosovares são independentes", concluiu.   Durante seu encontro com a imprensa no domingo, Bush lembrou que Washington apoiou de forma contundente o plano Ahtisaari, que garante, entre outros aspectos, os direitos das minorias étnicas. O plano tem o nome do ex-presidente finlandês Martti Ahtisaari, a quem a ONU autorizou em 2005 a mediar as negociações sobre o estatuto definitivo do Kosovo. Segundo o plano, o Kosovo não terá Exército próprio nem ministro de Exteriores, e também não poderá ser membro das Nações Unidas.

Mais conteúdo sobre:
EUAKosovoindependência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.