Mohammed Huwais/AFP
Mohammed Huwais/AFP

EUA tentam justificar terrorismo na Síria, diz Rússia

Para Moscou, Ocidente deixou de condenar atentado que matou membros do governo

Reuters

25 de julho de 2012 | 09h41

Texto atualizado às 12h00

MOSCOU - A Rússia acusou nesta quarta-feira, 25, os Estados Unidos de tentarem justificar o terrorismo contra o governo sírio, e recriminou governos ocidentais que, segundo Moscou, deixaram de condenar um atentado a bomba que matou membros do alto escalão do regime de Bashar al Assad.

Veja também:

linkTurquia fecha fronteira síria para tráfego comercial, diz ONU linkAssad tenta conter avanço rebelde com bombardeio em Alepo

forum CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

O chanceler Sergei Lavrov se referia a um suposto comentário de uma porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, segundo a qual o atentado da semana passada em Damasco não foi surpreendente. "Isso é uma justificativa direta do terrorismo", disse Lavrov.

"Para colocar em termos brandos, não entendemos a recusa dos nossos parceiros em condenar o ataque terrorista em Damasco", afirmou.

Ele insinuou que Washington estaria usando a ameaça de mais ataques para pressionar o Conselho de Segurança da ONU a colocar o plano de paz do mediador internacional Kofi Annan sob a égide do Artigo 7o da Carta da ONU, o que permitiria a adoção de sanções e até uma eventual intervenção militar contra Assad.

Lavrov disse também que a embaixadora dos EUA na ONU, Susan Rice, citou o atentado de 18 de julho em Damasco como prova de que o Conselho não deveria adiar a adoção de uma resolução alusiva ao Artigo 7o.

"Em outras palavras, isso significa: 'Vamos continuar a apoiar tais ataques terroristas até que o Conselho de Segurança faça o que queremos'" , disse Lavrov a jornalistas após reunião com seu colega cipriota, Erato Kozakou-Marcoullis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.