Europa deve operar 50% dos voos previstos para esta terça-feira

Após 5 dias de caos aéreo, cerca de 14 mil voos devem ser realizados, segundo Eurocontrol

estadão.com.br

20 de abril de 2010 | 09h34

 

LONDRES - Os aeroportos europeus devem operar cerca de 14 mil voos terça-feira, 20, a metade dos previstos para o dia, informou a Agência Europeia para a Segurança da Navegação Aérea, Eurocontrol. Esta terça é o primeiro dia em que são aplicados os novos procedimentos de segurança diante da nuvem de cinzas vulcânicas procedente da Islândia estipulados pela União Europeia (UE).

 

Veja também:

blog Conte sua história sobre o caos nos aeroportos

linkSaiba quais são os direitos dos passageiros

linkMudança no tempo no empurrará nuvem ao Ártico

linkAumento da atividade do vulcão causa incerteza

mais imagens Veja imagens do vulcão Eyjafjallajoekull

 

No total, a Eurocontrol estima que poderão decolar cerca de 14 mil voos dos 27 mil a 28 mil que estavam previstos para esta terça. Dessa forma, cerca de 50% dos voos poderão ser efetuados na Europa, que equivalem a 75% do total na área continental.

 

Em comunicado, a agência ressaltou em comunicado que entraram em vigor às 6 horas (3 horas em Brasília) essas novas disposições, as quais preveem três tipos de zonas no espaço aéreo em função da poluição de cinzas e de sua periculosidade para os voos.

 

Os três tipos de condições determinadas para o espaço aéreo são a zona não permitida, a zona de atenção, e a zona livre. Na primeira, imediatamente sobre a nuvem de cinzas, nenhum tipo de voo é permitido. Na segunda, os aviões podem operar, mas estão sujeitos a checagem em suas turbinas após os pousos para verificar se não houve danos, enquanto a terceira área não tem restrições.

 

As áreas com espaço aéreo aberto são a região balcânica, Áustria, Bélgica, Bulgária, República Tcheca, Alemanha, Portugal, Espanha, parte da Itália e da França, Grécia, Holanda, Noruega, Polônia, Romênia, norte da Suécia, Suíça e Turquia.

 

Por outro lado, o espaço aéreo está total ou parcialmente fechado para a aviação civil principalmente no noroeste da Europa, incluindo Dinamarca, Estônia, Finlândia, norte da França, norte da Itália, Letônia, Eslovênia, Eslováquia, Ucrânia e Reino Unido. A Eurocontrol, porém, indica que todo o espaço aéreo europeu está disponível acima de 20 mil pés.

 

Nova nuvem

 

A gradual reabertura dos aeroportos no Reino Unido, um dos países mais afetados pela crise aérea, pode estar ameaçada. Embora as autoridades islandesas tenham anunciado uma diminuição nas atividades vulcânicas do Eyjafjallajoekull, mas cinzas foram expelidas, formando uma nova nuvem que viaja em direção ao território britânico.

 

O serviço meteorológico do país, o Met Office, informou que as atuais condições climáticas e de vento não devem abrandar a situação britânica. "No momento, as condições climáticas não devem mudar até sexta. Só então teremos ventos que deverão levar a nuvem de cinzas para longe do país", disse uma porta-voz do Met Office á agência CNN.

 

A agência calcula que, ao final do dia, chegará a mais de 95 mil os voos suspensos desde quinta-feira passada por causa da nuvem vulcânica procedente da Islândia. O Conselho Internacional de Aeroportos da Europa (ACI na sigla em inglês), indicou anteriormente que mais de 6,8 milhões de passageiros foram afetados pela paralisação das atividades aéreas na Europa.

 

(Com informações da agência Efe)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.