Europeus questionam competência do governo no Afeganistão

Chefe de política externa da UE critica Hamid Karzai sobre capacidade de enfrentar os desafios do país

Associated Press,

16 Novembro 2009 | 14h03

Funcionários da União Europeia (EU), questionaram nesta segunda-feira, 16, o presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, se o governo deste teria a capacidade de enfrentar os desafios do país.

 

O chefe de política externa do bloco europeu, Javier Solana, disse que é "fundamental" para o Afeganistão ter um governo livre de corrupção e preparado para combater o tráfico de drogas e outros problemas. Solana, no entanto, não comentou as ameaças da secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, que disse que seu país não forneceria nenhuma ajuda civil aos Afeganistão sem que o governo fosse mais transparente com os gastos públicos dos ministros.

 

As nações europeias, que mantêm cerca de 30 mil soldados entre as tropas da Organização do Tratado do Atlântico Norte no país, ainda estão esperando pela revisão de estratégia do presidente americano, Barack Obama, sobre o possível envio de mais soldados ao Afeganistão.

 

"A União Europeia está engajada com o Afeganistão e continuará assim. Precisamos ouvir de Karzai que ele está construindo um governo que encara os desafios que o Afeganistão enfrenta", disse Cristina Gallach, porta-voz da União Europeia.

 

Kai Eide, o mais alto funcionário europeu em Cabul, participará da cúpula entre ministros de Defesa e Exterior do bloco para relatar sobre os progressos no Afeganistão. O secretário-geral da Otan, Anders Fogh Rasmussen, também participará da reunião para falar da cooperação militar entre os blocos.

Mais conteúdo sobre:
UE União Europeia Afeganistão Karzai

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.