Osman Orsal/Reuters
Osman Orsal/Reuters

Ex-chefe militar da Turquia é preso por suspeita de conspiração

Ilker Basbug é a mais alta autoridade turca detida no caso 'Ergenekon'

Reuters

06 de janeiro de 2012 | 07h56

ISTAMBUL - O ex-chefe das Forças Armadas da Turquia Ilker Basbug passou sua primeira noite atrás das grades nesta sexta-feira, 6, após ser acusado de tentar derrubar o governo, em uma medida sem precedentes que deve aumentar as tensões com os militares.

Basbug, que se aposentou em 2010, é a autoridade mais importante a ser presa no caso conhecido como Ergenekon, uma ação contra a instituição militar que já foi muito poderosa na Turquia.

O ex-general foi conduzido ao tribunal de Istambul na manhã desta sexta para realizar um exame médico antes de ser levado por um comboio da polícia até a prisão de Silivri, a cerca de 80 quilômetros da cidade, onde centenas de acusados no caso Ergenekon estão sendo julgados em uma sala de tribunal construída especialmente para o processo.

"O 26º chefe do Estado-Maior da República da Turquia foi detido por formar e dirigir um grupo terrorista. Cabe à grande nação da Turquia fazer o julgamento", disse Basburg ao ser conduzido à sala de audiência.

A decisão para prender Basburg foi tomada horas depois que jornalistas influentes da Turquia, que estão sendo julgados por supostas ligações com a rede ultranacionalista Ergenekon, disseram que as acusações feitas contra eles eram "um massacre da justiça".

Promotores acusam a Ergenekon de estar por trás de diversas conspirações contra o governo do partido AK, do primeiro-ministro Tayyip Erdogan. Centenas de suspeitos, como autoridades militares aposentadas, acadêmicos, advogados e jornalistas, foram detidos em casos relacionados à rede.

Tudo o que sabemos sobre:
TurquiamilitarBasbugOriente Médio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.