Ex-ministro retira apoio e enfraquece governo de Prodi na Itália

O primeiro-ministro italiano, RomanoProdi, enfraqueceu-se ainda mais por causa de seu ministro daJustiça, que renunciou por suspeita de corrupção e anunciou queseu pequeno partido vai passar a oferecer apenas apoio"externo" ao governo. Clemente Mastella, cujo pequeno partido católico garantecom seus três senadores a maioria da coalizão no Senado,renunciou na quarta-feira, depois de ele e a esposa, presidentedo Conselho de uma região no sul do país, serem indiciados porcorrupção. Mastella vinha se desentendendo com alas esquerdistas dogoverno, e sua permanência já era incerta. "Vamos dar apoio externo. E vamos fazer exigências semaceitar concessões, como fizemos até agora", disse Mastella, de60 anos, acrescentando que os dirigentes do seu partido Udeurvão debater em fevereiro o futuro da sua relação com acoalizão. "Hoje não estamos no governo, amanhã veremos", disse ele ementrevista coletiva na Campânia, região em torno de Nápoles,sua base eleitoral. No Parlamento, Prodi convidou Mastella a retomar suasfunções depois do processo judicial. O próprioprimeiro-ministro assumiu interinamente a pasta. Prodi parece confiante em preservar o apoio de Mastella noParlamento, pois "já contou com o apoio de seu partido nopassado e vai contar no futuro". A oposição de centro-direita pediu novamente a renúncia deProdi. "Primeiro-ministro, o tempo de seu governo acabou!",disse o deputado Elio Vito, do partido Forza Italia, lideradopelo ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.