Hazir Reka/Reuters
Hazir Reka/Reuters

Ex-premiê de Kosovo é novamente inocentado de crimes de guerra

Haradinaj era julgado pelo Tribunal Penal Internacional por perseguir kosovares de etnia sérvia durante a guerra de 1998-99

Reuters

29 de novembro de 2012 | 10h55

AMSTERDÃ - Ramush Haradinaj, ex-guerrilheiro de Kosovo que teve uma breve passagem pelo cargo de primeiro-ministro, foi inocentado nesta quinta-feira, 29, pela segunda vez de acusações de crimes de guerra, o que abre caminho para a retomada da sua carreira política, para irritação da vizinha Sérvia.

O julgamento de Haradinaj no Tribunal Penal Internacional da ONU em Haia foi encerrado logo depois da absolvição, na fase de recurso, do general croata Ante Gotovina, há duas semanas. Essa decisão já havia alimentado acusações nacionalistas na Sérvia de que a corte internacional teria um viés antissérvio.

O veredicto e a volta de Haradinaj à linha de frente do ativismo podem abalar um novo esforço da União Europeia para que Sérvia e Kosovo se reconciliem, quase cinco anos depois de a antiga província meridional sérvia declarar sua independência, com apoio do Ocidente.

Haradinaj era acusado de perseguir kosovares de etnia sérvia, num esforço para expulsá-los da região durante a guerra de 1998-99 entre guerrilheiros do Exército de Libertação de Kosovo e forças de segurança do governo sérvio, então comandado pelo autocrata Slobodan Milosevic, já falecido.

Os juízes de Haia concluíram que não havia indícios que corroborassem as acusações de crimes contra a humanidade envolvendo Haradinaj e dois supostos cúmplices.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.