Ex-primeiro-ministro Calvo Sotelo morre na Espanha

Ele foi um dos responsáveis pela transição do país para a democracia após a queda do ditador Franco

Agência Estado e Associated Press,

03 de maio de 2008 | 15h28

O ex-primeiro-ministro espanhol Leopoldo Calvo Sotelo, um dos responsáveis pela transição do país para a democracia, morreu aos 82 anos de idade. Um dos mais importantes políticos do país após a deposição do ditador Francisco Franco (1939-75), Sotelo teve uma parada cardiorrespiratória neste sábado, informou seu filho mais velho, Leopoldo. Calvo Sotelo governou o país de fevereiro de 1981 a dezembro de 1982, após seu antecessor Adolfo Suárez renunciar. Durante a votação para confirmá-lo no cargo, houve uma tentativa de golpe liderada pelo coronel Antonio Tejero. Os golpistas mantiveram reféns no Parlamento por dezessete horas. O rei Juan Carlos fez então um discurso pela televisão condenando a ação e eles fugiram, sendo presos em seguida. Após o fracassado golpe da direita, o Parlamento marcou uma data para as eleições gerais. O candidato socialista Felipe González venceu, inaugurando assim a moderna democracia do país. Durante sua carreira, Calvo Sotelo ocupou vários cargos na administração pública, entre eles o de ministro do Comércio.

Tudo o que sabemos sobre:
EspanhaLeopoldo Calvo Sotelo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.