Exército turco lança ofensiva terrestre ao norte do Iraque

Tropas da infantaria turcainvadiram o norte do Iraque em busca de rebeldes do Partido dosTrabalhadores do Curdistão (PKK), disseram os militares nestasexta-feira, descrevendo a ação como o início de uma campanhaque teria duração maior. A Casa Branca afirmou que os EUA tinham sido informados comantecedência da ofensiva turca e que pediram à Turquia quelimitasse a operação de modo a atingir apenas "alvos precisos"dos rebeldes do PKK, que vêm usando o norte iraquiano como basede lançamento de investidas contra forças turcas. O governo do Iraque pediu que os turcos respeitem suasoberania e evitem qualquer ação militar que possa ameaçar asegurança e a estabilidade do país. "Não esperamos que essas operações ampliem-se porque elascontradizem o desejo do Iraque e da Turquia de manter boasrelações", afirmou em Bagdá à Reuters Ali al-Dabbagh, porta-vozdo governo iraquiano. A União Européia (UE) repetiu seu apelo para que a Turquia,que tenta se tornar membro do bloco europeu, evite uma ação"exagerada." Um canal de TV turco afirmou que os soldados, com o apoiode aviões e de helicópteros de ataque Cobra, avançaram 25quilômetros para além da fronteira com o Iraque. Segundo esse canal, entre 3.000 e 10.000 soldados tinhamentrado no país vizinho. No entanto, vários oficiais graduadosdas Forças Armadas iraquianas e várias autoridades iraquianas,junto com a coalizão militar liderada pelos EUA, tentaramminimizar a operação, afirmando que envolveria apenas algumascentenas de soldados. "As Forças Armadas da Turquia, que têm em alta conta aintegridade territorial e a estabilidade do Iraque, regressarãopara casa o mais breve possível, após seus objetivos terem sidoatingidos", disse o Estado-Maior turco em um comunicadopublicado em seu site. O Estado-Maior não especificou o tamanho da operação, masdivulgou fotos de soldados armados e vestidos com uniformesbrancos caminhando pelo terreno montanhoso e recoberto de nevedo norte do Iraque. Um militar de alta patente posicionado no sudeste daTurquia afirmou à Reuters: "Milhares de soldados cruzaram afronteira e milhares mais aguardam na região para juntar-se aosoutros se necessário." O canal CNN da Turquia, citando fontes não identificadasdas forças de segurança turcas, disse que a operação duraria 15dias. CHOQUES COM SOLDADOS O governo turco responsabiliza o PKK pela morte de quase 40mil pessoas desde que o grupo lançou, em 1984, uma campanhaarmada para fundar um Estado curdo no sudeste da Turquia. Os EUA, como a Turquia, consideram o PKK uma organizaçãoterrorista. Os turcos parecem tentar desferir um golpe esmagador contrao PKK antes de as condições climáticas na região melhorarem, oque permitiria aos rebeldes reingressar no território daTurquia. Um porta-voz do PKK disse que os rebeldes tinham entrado emchoque com os soldados turcos. "Houve vários conflitos. Dois soldados turcos foram mortose oito ficaram feridos. Não há baixas do lado do PKK," afirmouà Reuters Ahmed Danees, chefe da área de relações exteriores dogrupo. Danees deu essas declarações por meio de um telefone viasatélite desde um ponto não determinado do norte do Iraque. Não foi possível confirmar essas informações por meio deoutras fontes. (Reportagem adicional de Michael Holden e Mariam Karouny emBagdá, Matt Spetalnick em Washington, Gareth Jones e SelcukGokoluk em Ancara)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.