Expedição russa parte para conquista do Ártico

Uma expedição russa partiu nesta terça-feira para o Pólo Norte, para onde planeja enviar um minissubmarino a fim de colocar uma bandeira no fundo do mar e simbolicamente reivindicar o Ártico para o Kremlin. A missão é parte de uma corrida para garantir direitos sobre o Ártico, uma região de gelo rica em recursos energéticos. Além disso, à medida que o aquecimento global derrete o gelo, existe a possibilidade de se abrir um lucrativo atalho para navios passando entre a Ásia e a América do Norte. "O Ártico é russo", disse o líder da expedição e parlamentar Artur Chilingarov à TV russa. Um quebrador de gelo romperá o gelo ártico, abrindo caminho para o navio da principal expedição, que lançará o submarino. Segundo o direito internacional, cinco países com territórios dentro do Círculo Ártico -- Rússia, EUA, Canadá, Noruega e Dinamarca (através de seu controle da Groenlândia) -- estão limitados a uma zona de controle econômico de 320 km ao longo de sua costa. Mas desde 2001, a Rússia quer uma parte maior, argumentando que o fundo do mar ártico e a Sibéria são ligados através do mesmo fundo do mar continental.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.