Explosão em ônibus mata cinco pessoas na Rússia

Artefato explode durante verificação da identidade dos passageiros; pelo menos 13 ficaram feridos

Efe e Reuters,

23 de novembro de 2007 | 12h17

Pelo menos cinco pessoas, entre elas uma criança, morreram nesta sexta-feira, 23, e outras 13 ficaram feridas por conta da explosão de um ônibus de passageiros na Ossétia do Norte, região próxima à Chechênia, segundo informou o departamento de Interior da república russa.   Cerca de 19 pessoas estavam no veículo, que pegou fogo após a explosão. O motorista do ônibus relatou que o incidente ocorreu quando a polícia começou a verificar os documentos de identidade dos passageiros, em frente ao posto de controle na fronteira entre as repúblicas de Kabardino-Balkária e Ossétia do Norte.   Autoridades suspeitam de que a explosão foi um atentado terrorista. Fontes das forças de segurança informaram que o explosivo utilizado tinha uma potência de cerca de 500 gramas de TNT.   Em setembro de 2004, na localidade de Beslan, o seqüestro de uma escola por um comando terrorista checheno tirou a vida de 333 pessoas, 186 delas crianças.   Enquanto a situação na Chechênia parece ter se normalizado, as repúblicas vizinhas do Norte do Cáucaso, especialmente Inguchétia e Daguestão, se transformaram nos últimos meses em palco de numerosos atos de violência.   Diversos atentados suicidas a bomba contra alvos russos têm sido realizados desde o cerco de um teatro de Moscou em 2002, quando militantes chechenos tomaram centenas de reféns.  A Chechênia é uma república autônoma de maioria islâmica no sul da Rússia onde há um ativo movimento separatista armado.   O principal temor entre as autoridades russas é o de que se a república chechena obtiver sua independência, militantes radicais, que ele identifica como terroristas, poderiam assumir o controle da Chechênia e expandir sua influência a outras regiões.Entre os fatores econômicos, está o fato de que há reservas petrolíferas e de gás que podem ser exploradas no Mar Cáspio. Além disso, a Rússia pretende que a área permaneça segura para escoar sua produção.

Tudo o que sabemos sobre:
Rússiaexplosão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.