AP
AP

Explosão em trem deixa ao menos 16 mortos na Itália

Incidente ocorreu na cidade de Viareggio, no norte do país; pelo menos 50 pessoas ficaram feridas

30 de junho de 2009 | 05h39

Pelo menos dezesseis pessoas morreram e outras 50 ficaram feridas nesta segunda-feira, 29, na Itália depois que um trem de carga levando tanques de gás líquido explodiu. Segundo a agência de notícias italiana Ansa, o número de mortos pode chegar a 15. Dos feridos, 37 estão em estado grave.

 

A explosão aconteceu quando o trem se aproximava da cidade costeira de Viareggio, no norte do país. O acidente ocorreu pouco antes da meia noite (horário local), quando um trem de cargas que transportava gás liquefeito de petróleo descarrilou logo na saída de uma estação. As chamas da explosão alcançaram várias casas próximas à estação e outras dezenas foram danificadas num raio de 300 metros. Várias pessoas morreram soterradas depois que suas casas desabaram pela força da explosão. Outras duas pessoas morreram em uma rua adjacente aos trilhos.

 

"Dois pequenos edifícios desabaram com a força da explosão e pode haver várias pessoas sob os escombros", disse Antonio Gambardella, comandante da equipe de bombeiros que trabalha no local. De acordo com ele, um menino de 8 anos de idade foi retirado vivo dos escombros.

 

O trem estava a caminho de Pisa quando ocorreu a explosão, pouco antes da meia-noite, horário local, 19h, horário de Brasília. Os dois condutores do trem foram levemente feridos. Eles dizem que sentiram um impacto a cerca de 200 metros da estação, antes do descarrilamento. A políca diz que o incidente pode ter sido causado por defeitos nos trilhos ou pelo sistema de frenagem do trem.

 

Segundo o chefe da Defesa Civil, Guido Bertolaso, possivelmente ainda há quatro pessoas sob os escombros dos edifícios. "Há algumas pessoas desaparecidas, estamos trabalhando em dois edifícios, onde podem haver três ou quatro pessoas" soterradas. O chefe da Defesa Civil disse também que "a situação ainda é de risco" e "toda a região foi interditada". "Ainda há 13 cisternas de GLP que devem ser esvaziadas, quatro destas estão cheias. Trata-se, portanto, de uma operação de risco e difícil", afirmou.

 

Na pequena cidade da região da Toscana vivem cerca de 60 mil pessoas. O prefeito de Viareggio, Luca Lunardini, informou que centenas de casas da região foram esvaziadas e pelo menos 200 habitantes da cidade estão em centros de assistência do município.

 

Esse é o pior acidente de trem na Itália desde que 17 pessoas morreram em janeiro de 2005, quando um trem de passageiros colidiu com um trem de carga próximo à cidade de Bolonha, no norte do país.

Tudo o que sabemos sobre:
Itália

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.