Explosões no metrô de Moscou deixam dezenas de mortos

O Serviço Federal de Segurança da Rússia acredita que as explosões teriam sido causadas por mulheres

Efe

29 de março de 2010 | 02h30

Um dos atentados ocorreu próximo a sede do Serviço Federal de Segurança do país

 

Pelo menos 37 pessoas morreram nesta segunda-feira, 29, em dois atentados com bomba perpetrados contra o metrô de Moscou, informaram hoje os Ministérios do Interior e de Emergências da Rússia.

 

A primeira explosão, que aconteceu pouco antes das 8h (horário local, 2h de Brasília) na estação Lubyanka, local em que fica a sede do Serviço Federal de Segurança, causou a morte de pelo menos 25 pessoas e deixou 15 gravemente feridas.

 

A segunda explosão, que ocorreu na estação Park Kultury, deixou 12 mortos e um número ainda não conhecido de feridos.

 

"As explosões ocorreram quando os vagões estavam parados nas estações do metrô. Morreram alguns passageiros que estavam no vagão e outras na plataforma", destacou um porta-voz do Ministério de Emergência a um canal de televisão russo.

 

De acordo com o Serviço Federal de Segurança (FSB) da Rússia, as explosões teriam sido realizadas por mulheres terroristas. "Ambas explosões, de acordo com dados preliminares, foram obra de mulheres suicidas", informou a FSB em um comunicado que cita a agência Interfax.

Tudo o que sabemos sobre:
AtentadosRússiaterrorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.