Expulso da Argentina, bispo Williamson chega a Londres

Religioso foi expulso do país após negar o Holocausto de 6 milhões de judeus

Efe,

25 de fevereiro de 2009 | 07h03

Chegou nesta quarta-feira a Londres o bispo britânico ultraconservador Richard Williamson, que foi obrigado a abandonar a Argentina após receber a ameaça de expulsão do governo por suas declarações, negando o Holocausto de 6 milhões de judeus. Em meio à grande expectativa da imprensa, o bispo chegou ao aeroporto londrino de Heathrow em um voo procedente de Buenos Aires, mas não quis fazer declarações. Williamson, que negou que as câmaras de gás nazista tivessem sido utilizadas para exterminar milhões de judeus, foi escoltado por numerosos agentes da Polícia a um automóvel que o esperava. Os bispos católicos da Inglaterra e Gales condenaram as afirmações de Williamson, que classificaram como de "totalmente inaceitáveis". Um porta-voz da Conferência de bispos católicos na Inglaterra e Gales disse nesta quarta-feira que "não tem ideia" sobre onde o religioso ficará no Reino Unido. Entre as pessoas que o esperavam em Heathrow estava o inglês judeu Mayer Gruver, que perdeu sete de seus 11 parentes durante o Holocausto e classificou de "escandalosas" as opiniões do bispo. O bispo, de quem o papa Bento XVI retirou a excomunhão em janeiro, negou que as câmaras de gás nazistas tivessem sido utilizadas para exterminar a judeus e disse que no Holocausto não morreram 6 milhões de pessoas mas entre 300 mil e 400 mil. Essa afirmação estava contida em entrevista gravada na Alemanha em novembro e transmtida em 21 de janeiro pela TV estatal sueca "Svt".

Tudo o que sabemos sobre:
bispo WilliamsonHolocausto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.