Família de Jean Charles define multa à polícia como 'simbólica'

Brasileiro foi morto pela Scotlando Yard em 2005, após ser confundido com um terrorista no metrô de Londres

Agência Estado,

03 de novembro de 2007 | 15h57

A família do brasileiro Jean Charles de Menezes define como "simbólica" a multa recebida pela Scotland Yard, a polícia inglesa. A Justiça britânica condenou a polícia a pagar uma multa de 175 mil libras (cerca de R$ 630 mil) pela operação que levou à morte de Jean Charles de Menezes em julho de 2005, ao ser confundido com um terrorista no metrô de Londres. A Scotland Yard também terá de desembolsar 375 mil libras (cerca de R$ 1,4 milhão) pelas custas do processo.   Veja Também:   Caso Jean Charles, da morte à sentença contra a Scotland Yard Polícia é condenada por expor público na morte de Jean Charles   "Ninguém no Brasil está sabendo direito o que é isso. É a mesma coisa que multar uma pessoa em R$ 5. O valor de 175 mil libras, na Inglaterra, para quem é inglês, não é nada", disse o primo de Jean Charles, Alex Pereira. "A média do valor da casa de uma pessoa pobre aqui é o dobro. Essa multa não é nada. É simbólica."   Pereira afirma ainda que a multa é referente ao risco a que a instituição submeteu a população, e não à morte de seu primo. Para ele, a multa não pode ser considerada uma forma de punição, já que o dinheiro deverá ser pago ao Estado que, por sua vez, irá repassá-lo novamente à instituição.   O primo de Jean Charles diz que a família vai continuar buscando uma solução para o caso. Segundo ele, os advogados vão abrir inquérito, com o apoio da Comissão Independente de Queixas da Polícia (IPCC, na sigla em inglês).   Maria Beatriz Figueiredo, tia de Jean, disse que somente a prisão faria justiça à morte do brasileiro."Acredito que a justiça verdadeira seria eles( os policiais que mataram Jean) serem condenado à prisão, pelo menos por um tempo, para que eles pensem no que fizeram".   Um amigo de infância de Jean Charles disse que nenhum tipo de multa iria aliviar a revolta entre os brasileiros.   Jean Charles foi morto por policiais à paisana.De acordo com a versão da polícia britânica, os agentes confundiram o brasileiro com um terrorista. Já o IPCC alegou que o rapaz era "inocente" e foi morto no trajeto para o trabalho.   Texto atualizado às 16h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.