Família Missoni espera que executivo esteja vivo após avião sumir na Venezuela

A família do executivo de moda italiano Vittorio Missoni disse nesta segunda-feira que eles ainda acreditavam que ele estava vivo, três dias depois de seu avião desaparecer na costa da Venezuela, e imploraram para equipes de resgate encontrá-lo.

Reuters

07 de janeiro de 2013 | 12h46

O avião bimotor pequeno levando Missoni, 58, sua esposa, Maurizia Castiglioni, outro casal e dois tripulantes venezuelanos desapareceu na sexta-feira depois de ter decolado do resort de Los Roques, um arquipélago perto da costa da Venezuela.

"Nós acreditamos que Vittorio, Maurizia, Elda e Guido ainda estão vivos!", escreveu a irmã de Missoni, Angela, no Twitter. "Por favor, ajude-nos a encontrá-los e trazê-los de volta para casa."

O Ministério de Relações Exteriores da Itália recusou-se a comentar sobre como as buscas do avião desaparecido estavam progredindo.

A imprensa italiana sugeriu que Missoni, sua esposa e seus amigos Elda Scalvenzi e Guido Foresti podem ter sofrido um sequestro.

O piloto de um Cessna 402 que decolou exatamente um minuto após o bimotor Britten Norman BN2 transportando Missoni disse que viu o avião desaparecer.

"Eu os vi bem na minha frente quando eles foram engolidos por uma nuvem densa enorme", disse o piloto Enrique Rada ao jornal de Turim La Stampa, em entrevista publicada nesta segunda-feira. "Foi um raio. Deve ter havido um relâmpago."

Rada disse ao La Stampa que ele foi contatado pela torre de controle alertando-o do desaparecimento do avião pouco depois que ele viu o bimotor entrar na nuvem. Ele disse que tentou fazer contato por rádio com o piloto do avião, German Marchan, mas não conseguiu.

Missoni é o filho mais velho dos fundadores da casa de moda famosa por suas malhas exuberantemente coloridas, com riscas e ziguezagues. Ele é coproprietário com os irmãos Luca e Angela, que cuidam da parte técnica e do design da empresa.

A decisão sobre se a Missoni levará adiante o desfile em Milão no dia 13 de janeiro da próxima coleção de moda masculina pode ser tomada nesta segunda e será anunciada o mais rapidamente possível, disse um porta-voz da Missoni.

A casa de moda registrou vendas de 70 milhões de euros (91 milhões de dólares) em 2011, tornando-se uma das menores casas de moda da Itália. Gianni Versace, por exemplo, teve receita de 340 milhões de euros em 2011, e Giorgio Armani, de 1,8 bilhão de euros.

(Reportagem de Jennifer Clark)

Tudo o que sabemos sobre:
ITALIAMISSONIFAMILIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.