Mario Cruz/EFE/EPA
Mario Cruz/EFE/EPA

Família portuguesa descobre após o enterro que idoso dado como morto estava vivo

Homem de 92 anos foi internado com covid-19; familiares não puderam ver o corpo no funeral e foram informados 20 dias depois de que parente estava vivo

Redação, O Estado de S.Paulo

30 de janeiro de 2021 | 19h18

Um homem de 92 anos de Santa Maria da Feira, no norte de Portugal, foi dado como morto por complicações da covid-19 e sepultado por sua família, que 20 dias depois foi informada de que houve um engano e o parente estava vivo. O corpo enterrado era de outra pessoa falecida no mesmo hospital.

O caso foi relatado pelo jornal português Jornal de Notícias, que afirma que o homem foi internado há dois meses no Hospital de Oliveira de Azeméis por problemas respiratórios. Durante o período no hospital, ele teria sido infectado pela covid-19.

No dia 10 de janeiro, a família do homem foi informada de seu falecimento. Dois dias depois, foi realizado o funeral, no qual os familiares não puderam ver o corpo devido aos protocolos sanitários do coronavírus. Neste sábado, 30, exatos 20 dias depois do anúncio, o hospital entrou novamente em contato com a família para informar-lhes que houve um erro e o idoso estava vivo. A família do morto que foi enterrado também já foi contatada.

“Sei que neste momento os médicos têm muito trabalho, mas espero que isso sirva para que tenham mais cuidado no futuro”, disse o filho do homem internado ao Jornal de Notícias.

Terceira onda

Os hospitais portugueses estão sobrecarregados com a chegada de uma “terceira onda” da covid-19. Desde março, o país acumula 711.018 casos e 12.179 óbitos pela doença. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.