FBI quer criar um banco de dados antiterrorismo com Inglaterra

Novo sistema armazenaria detalhes biométricos para facilitar a busca de terroristas e criminosos no mundo todo

Efe,

15 de janeiro de 2008 | 20h09

A polícia britânica estuda a possibilidade de criar com o FBI um banco de dados internacional, que armazenará detalhes como a íris e impressões digitais para facilitar a busca de criminosos e terrorista no mundo todo, de acordo com fontes oficiais.   O projeto, confirmado pelo Ministério do Interior britânico, foi batizado de 'Server in the Sky' e está em sua primeira fase. "Já conhecemos o projeto proposto. Como é de se esperar, consideramos uma grande variedade de iniciativas, já que buscamos constantemente impulsionar nossa capacidade de investigação", declarou nesta terça-feira, 15, um porta-voz do ministério. Segundo o jornal The Guardian, os países aliados na chamada "guerra contra o terrorismo" - Estados Unidos, Reino Unido, Austrália, Canadá e Nova Zelândia - formaram um grupo de trabalho para analisar a criação do banco de dados. A Polícia Metropolitana de Londres, Scotland Yard, confirmou as informações, ressaltando que o projeto ainda está em fase inicial.   "O 'Server in the Sky' é uma iniciativa do FBI traçada para impulsionar a busca avançada e trocar informação biométrica em nível global", disse um porta-voz do FBI ao Guardian. O jornal afirma ainda que cada país participante no projeto terá o controle e a proteção de seus próprios dados, podendo decidir compartilhar ou não as informações.

Tudo o que sabemos sobre:
FBIterrorismoScotland Yard

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.