Fechamento de espaço aéreo europeu pode durar mais dois dias

Agência de controle aéreo teme pela falta de segurança causada pelas cinzas de vulcão na Islândia

estadão.com.br

15 de abril de 2010 | 11h02

LONDRES - A interrupção do tráfego aéreo na região oeste da Europa por conta das cinzas expelidas por um vulcão na Islândia pode durar até 48 horas, informou nesta quinta-feira, 15, a Eurocontrol, agência de controle aéreo europeia.

 

Veja também:

linkFechamento já afeta voos no Brasil

linkEm 1821, erupção durou dois anos

mais imagens Imagens dos aeroportos e da nuvem de cinzas

mais imagens Veja fotos do vulcão Eyjafjallajoekull

 

A Eurocontrol disse que o fechamento do espaço aéreo pode se expandir para a Alemanha. Noruega, Dinamarca, Suécia, Irlanda, Reino Unido, França e Finlândia já fecharam seu espaço aéreo. Aeroportos da Bélgica, da Holanda e da Espanha também sofrem com o cancelamento de vários voos e podem paralisar as atividades.

 

Além disso, a Eurocontrol estima que entre 20% e 25% do tráfego aéreo comercial do continente seja afetado por conta das cinzas do vulcão da geleira Eyjafjallajoekull, situado no sul da Islândia, a cerca de 1,7 mil quilômetros de Londres. As atividades vulcânicas começaram na quarta-feira pela segunda vez no mês. O vulcanologista islandês Armannn Hoskuldsson afirmou que a erupção estava ficando cada vez mais intensa.

 

O Serviço de Controle do Tráfego Aéreo Nacional (NATS, na sigla em inglês) do Reino Unido ampliou hoje o fechamento do espaço aéreo britânico, com exceção dos voos de emergência, até as 13h locais de sexta-feira (9h de Brasília). O NATS tomou esta medida após verificar que os ventos continuam levando para o Reino Unido as cinzas da erupção de um vulcão islandês. Os voos britânicos foram cancelados a partir do meio-dia local. A agência de aviação francesa declarou a paralisação das atividades em mais de 20 aeroportos por razões de segurança.

 

Uma porta-voz do NATS disse que é a primeira vez que a Europa promove um fechamento do seu espaço aéreo dessa magnitude. Ela lembrou que nem mesmo após os ataques ao World Trade Center em 11 de setembro de 2001 os aeroportos europeus paralisaram suas atividades. "Continuaremos acompanhando a situação dos aeroportos, linhas aéreas e do resto da Europa para entender e mitigar as implicações da erupção vulcânica", informou o órgão em um comunicado.

 

O primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, também disse que as autoridades darão prioridade à segurança dos passageiros. "Segurança é a consideração predominante dos aeroportos. Se alguma viagem pública foi prejudicada, pedimos desculpas", disse.

 

Perigos

 

O Eurocontrol afirmou que a nuvem de cinzas chegou a 16,7 quilômetros de altura e a expectativa é de que se mova pelo norte da Europa e Escócia por volta de 13h00 desta quinta-feira, hora local.

 

Segundo especialistas, as cinzas contêm pequenas partículas de rochas, vidro e areia suficientes para afetar as turbinas. Elas podem diminuir a visibilidade, danificar os controles de voo e entupir turbinas de aviões em pleno voo.

 

Houve casos no passado de partículas de nuvens como essa que pararam todas as turbinas de um mesmo avião. Em todos os casos, os pilotos conseguiram ligar o motor novamente depois de sair da nuvem.

 

Aeroporto londrino avisa os passageiros dos problema no espaço aéreo europeu.

 

Nuvem chegou a quase 17 quilômetros de altura, de acordo com o Eurocontrol.

 

(Com informações das agências Efe e Reuters)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.