Filha de relação incestuosa na Áustria reencontra família

A primeira filha nascida darelação incestuosa mantida pelo austríaco Josef Fritzl e afilha que deixou presa durante 24 anos voltou a encontrar suafamília depois de recuperar-se de um coma induzido, afirmaramos médicos. Os responsáveis por tratar dela também disseram, naquarta-feira, que toda a família -- Elisabeth, a filha deFritzl, e as seis das sete crianças ainda vivas que resultaramdos vários anos em que o austríaco a manteve presa em um porão-- haviam sido transferidas para uma casa existente dentro doterreno de um hospital a fim de que levem uma vida mais normal. Fritzl, 73, detido provisoriamente desde que o caso veio àtona, em abril, deixou Elisabeth, hoje 42, presa dentro de umporão existente debaixo da casa dele, na cidade de Amstetten(região central da Áustria) -- impondo-lhe um longo eescandaloso período de sofrimento. "A reunião de Kerstin (filha mais velha de Elisabeth) comsua família ocorrida alguns dias atrás foi um momentoemocionante. E, para nós, a surpreendente recuperação deKerstin significou um grande alívio", disse BertholdKepplinger, diretor do hospital onde as vítimas de Fritzlrecebem tratamento. Kerstin deve recuperar-se "totalmente", afirmou o médico. O caso tornou-se público dois meses atrás, quando Kerstinficou gravemente doente e precisou ser levada a um hospital. Agarota, 19, colocada em coma induzido depois de ter sofridoespasmos em virtude de uma carência de oxigênio e de problemasno fígado, abriu os olhos no dia 15 de maio. Depois de fazer terapia para recobrar o movimento dosmúsculos, Kerstin reencontrou sua família no domingo, afirmaramos médicos. Albert Reiter, o médico da família, descreveu de formacomovida como levou a garota para sua nova casa. "Aquilo foi ummomento extraordinário para mim, quando Kerstin, segurando meubraço, conseguiu caminhar através da porta de sua nova casa,cruzando a soleira de uma nova vida", disse. FÃ DE ROBBIE WILLIAMS Após sair do coma induzido, Kerstin disse que desejava,mais do que tudo, realizar um cruzeiro e assistir a um show docantor britânico Robbie Williams, afirmou o médico. "Quando ainda estava na cama, entubada, ela ouvia asmúsicas do Robbie Williams até as 3h da madrugada", disseReiter. "A família toda está muito feliz com o fato de estaremjuntos pela primeira vez", disse o advogado deles, ChristophHerbst. Três dos sete filhos da relação incestuosa, o mais novodeles hoje com 5 anos de idade, continuaram vivendo nocativeiro junto com a mãe deles. Os outros três foram criadospor Fritzl e pela mulher dele, Rosemarie, como se fossem seuspróprios. Um bebê morreu logo depois de nascer. Fritzl confessou ser culpado de cárcere privado e estupro.Rosemarie foi considerada inocente pela polícia e hoje mora como restante da família na casa existente dentro do terreno dohospital, em Amstetten.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.