Filha mais velha de caso de incesto na Áustria acorda do coma

A filha mais velha do relacionamentoincestuoso de Josef Fritzl com Elisabeth, que foi mantida presaem uma cela por 24 anos, acordou de um coma induzido, disseramfontes do hospital na terça-feira. Fritzl manteve Elisabeth trancada em uma cela sem janelasno porão de sua casa, onde ela deu à luz sete filhos. Três dascrianças permaneceram na cela com a mãe. "A paciente Kerstin F. foi despertada do coma artificial epôde deixar a unidade de tratamento intensivo há alguns dias",disse o hospital em Amstetten. "A paciente ainda precisa detratamento médico e terapêutico intensivo". Os médicos induziram o coma devido a problemas causadospela deficiência de oxigênio. Três das crianças, que têm entre 5 e 19 anos, estavampresas na cela. Outras três foram criadas por Fritzl e suamulher, Rosemarie, como se fossem seus. Um deles morreu após onascimento e foi incinerado pelo pai. Os promotores investigam o homem de 73 anos por coerção,estupro, incesto e pela morte do bebê, mas ainda não háacusação formal. A polícia diz que ele admitiu a incineração eo incesto. O caso veio à tona depois que Kerstin, que vivia trancadadesde que nasceu, ficou seriamente doente e foi levada aohospital por Fritzl. (Reportagem de Karin Strohecker)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.