Filho de ex-ditador de Uganda é condenado por ataque

Faiçal Wangita, herdeiro de Idi Amin, terá de cumprir cinco anos de prisão no Reino Unido

Efe,

04 de agosto de 2007 | 14h11

Um filho do ex-ditador ugandense Idi Amin foi condenado a cinco anos de prisão no Reino Unido por sua participação em um ataque em que um estudante somali foi morto, informou neste sábado, 4, a imprensa britânica. Faiçal Wangita, de 25 anos, foi um dos cerca de 40 jovens africanos que atacaram o jovem somali Mahir Osman, de 18 anos, em um ponto de ônibus de um bairro do norte de Londres.O filho do ex-ditador foi absolvido da acusação de assassinato pelo tribunal penal de Old Bailey, que o declarou culpado de conspirar para causar ferimentos, conspiração para possuir armas e desordens violentos em relação com este incidente.A identidade de Wangita, um dos mais de 40 filhos de Amin (1924-2003), foi revelada após a conclusão do julgamento pelo assassinato de Osman.Durante o processo, seu nome permaneceu no anonimato para evitar que sua origem familiar prejudicasse o caso.Outros três membros do grupo foram condenados à prisão perpétua pela morte do jovem somali, que recebeu vinte facadas e foi agredido com tacos de beisebol, garrafas e martelos. O ataque, que durou apenas um minuto, aconteceu em janeiro do ano passado.Wangita nasceu na Arábia Saudita, onde seu pai estava exilado. Amin submeteu Uganda a um regime de terror de 1971 a 1979.Acredita-se que Faiçal seja o terceiro filho da quinta esposa do ditador, Sarah, que vive atualmente em Londres.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.