Grigory Dukor/Reuters
Grigory Dukor/Reuters

Fim de apuração confirma vitória de Yanukovich na Ucrânia

Derrotada, candidata do governo promete tentar impugnar resultado; observadores dizem que eleição foi limpa

Efe,

10 de fevereiro de 2010 | 09h34

O resultado oficial da apuração das eleições presidenciais na Ucrânia confirmaram a vitória do líder da oposição, Viktor Yanukovich, sobre a a primeira-ministra Yulia Timoshenko com uma vantagem de 3,48 pontos percentuais.

Eleições na Ucrânia:

linkYanukovich deve levar Ucrânia de volta à influência russa

 

Segundo dados anunciados nesta quarta-feira, 10, pela Comissão Eleitoral Central (CEC), Yanukovich e Yulia aparecem, respectivamente, com 48,95% (12.481.268) e 45,47% dos votos (11.593.340).

A CEC informou ainda que 4,36% dos ucranianos que foram às urnas votaram contra ambos os candidatos, possibilidade prevista na legislação eleitoral do país, e que 1% anularam o voto. Já a participação no segundo turno do pleito, realizado no último domingo, foi de 69,07%. Ao todo, 36,4 milhões de cidadãos estavam aptos a votar.

Apesar de ter concluído a contagem eletrônica dos votos, o órgão eleitoral só divulgará o resultado definitivo da eleição depois que receber e contabilizar as atas físicas de todos os colégios. Para terminar esse trabalho, a CEC terá até o dia 17 de fevereiro.

Impugnação

Na terça-feira, Yulia anunciou que pretende ir à Justiça para impugnar o resultado, sob alegação de fraude. De acordo com observadores ocidentais, a votação transcorreu de maneira limpa.

"Nunca reconhecerei a legitimidade da vitória de Yanukovich com uma eleição semelhante", declarou Yulia durante a reunião de seu partido na qual foi decidido que os resultados seriam formalmente contestados, segundo o diário Ukrainska Pravda.

"Na noite de segunda foi tomada a decisão de impugnar os resultados por colégios eleitorais, após a exigência de uma apuração por circunscrições. Se os tribunais nos derem razão, questionaremos os resultados gerais das eleições", declarou à agência Unian a número dois da aliança governista, a deputada Elena Shestik.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
eleições na Ucrânia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.