FMI aprova pacote de ajuda de R$17 bilhões à Ucrânia

O conselho do Fundo Monetário Internacional aprovou nesta quarta-feira um programa de resgate de dois anos avaliado em 17 bilhões de dólares à Ucrânia para ajudar a economia da ex-república soviética a se recuperar depois de meses de turbulência.

Reuters

30 de abril de 2014 | 19h54

A ajuda vai desbloquear novos créditos de outros doadores de cerca de 15 bilhões de dólares destinados a auxiliar a Ucrânia a estabilizar a economia em meio ao seu pior tumulto civil desde a independência, em 1991.

A decisão do conselho de 24 membros do FMI, que inclui representantes da Rússia e dos Estados Unidos, abre caminho para um desembolso imediato de 3,2 bilhões de dólares para o governo endividado da Ucrânia, permitindo que o país cumpra obrigações e evite um potencial calote da dívida.

Da primeira parcela, 2 bilhões de dólares serão direcionados a apoiar o orçamento.

Autoridades ucranianas disseram que a economia provavelmente vai contrair 3 por cento até o fim deste ano como resultado do caos e da má gestão. A produção econômica caiu 1,1 por cento nos três primeiros meses do ano.

(Reportagem de Anna Yukhananov)

Tudo o que sabemos sobre:
UCRANIAFMIRESGATE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.