Fogo avança na Grécia e o governo é criticado

Cresceram na terça-feira asacusações de incompetência contra o governo conservador gregoem relação ao combate aos incêndios florestais que já mataram63 pessoas e estão levando cidades inteiras à desocupação. Um líder do Pasok (Partido Socialista Pan-Helênico,oposição) disse que o governo se mostrou "tragicamente incapazde lidar com os incêndios" e está usando a possibilidade de quese trate de incêndios criminosos como justificativa para suafraqueza em reagir à crise. "(O governo) não pôde salvar vidas, bens e casas. É hora deo povo grego escolher um governo forte, que possa garantir asegurança, a confiança e a esperança", disse o dirigente GeorgePapandreou a jornalistas, três semanas antes de uma eleiçãoparlamentar. "Estado paralisado, ultraje no governo" e "as eleições daira", foram algumas das manchetes dos jornais atenienses. O governo mantém a convocação das eleições para dia 16. Umapesquisa mostra que a vantagem o governista Nova Democraciasobre o Pasok caiu de 1,3 para 0,8 ponto percentual, em partedevido a crise com os incêndios. Exaustos, mas agora ajudados por equipes do exterior, osbombeiros estão há mais de quatro dias tentando debelar aschamas. "Tive de usar 300 litros de vinho para tentar extinguiro incêndio em torno da minha casa", disse Georgios Dimopoulos,da localidade de Makistos, que fica na península do Peloponeso(sul), a área mais afetada. "Durante 17 horas, lutei contra o fogo. Ficamos à mercê daschamas. Eu não sabia nem se era dia ou noite", contou. O primeiro-ministro Costas Karamanlis anunciou medidasemergenciais e reagiu às críticas. "Todos nós, gregos, devemospermanecer unidos. Como no nosso passado, precisamos provar quesomos uma só alma, um só punho numa crise nacional", afirmou. O governo ofereceu até 1 milhão de euros (1,4 milhão dedólares) por pistas que levem a autores dos incêndios. Asautoridades questionaram o Ministério Público sobre apossibilidade de julgar eventuais sabotadores como terroristas. Muitos prefeitos acusam especuladores imobiliários deatearem fogo aos terrenos para facilitar as construções. Trêsidosos e dois garotos já foram indiciados por iniciaremincêndios. Os bombeiros dizem combater 25 focos na terça-feira. Toda aGrécia está em estado de emergência. Outros países já enviaramaviões e bombeiros para ajudar. Uma equipe de bombeiros cipriotas derruba a mata para criarcorredores que interrompam o fogo nas montanhas ao norte daantiga Olímpia, berços dos Jogos Olímpicos, no oeste doPeloponeso. No domingo, o complexo arqueológico de 2.700 anosescapou por pouco das chamas. "O fogo recuou, não há vento na área e temos (aviões)tanques acima, mas temos de ser vigilantes", disse o chefe debombeiros Marcos Strangoulas. "Estou numa montanha elevada e há carvalhos por todo lado.Vamos torcer para que eles continuem assim."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.