Fogo na Grécia mata 51 e ameaça centro das Olimpíadas antigas

Bombeiros e aviões da União Européiaentraram neste domingo na batalha contra os incêndios quecastigam a Grécia há três dias, já mataram 51 pessoas e ameaçamregiões perto da antiga Olímpia, local histórico dos primeirosJogos Olímpicos. A Grécia declarou estado de emergência no sábado, quandoenormes chamas deixaram um rastro de destruição no sul dapenínsula do Peloponeso e em outras áreas do país. O fogo lançou cinza branca sobre Atenas, forçou milhares depessoas a fugirem de suas vilas e queimou cerca de 500 casas emilhares de hectares de fazendas e florestas. Brigadas de bombeiros começaram a retirar neste domingomoradores de aldeias perto de Olímpia, enquanto ventos forteslevam as chamas para as proximidades do local histórico nacosta oeste do Peloponeso. "Não estamos preocupados apenas com o sítio arqueológico,mas também com toda a região", disse à Reuters o prefeito dacidade, George Aidonis. "Dependemos do turismo para viver eagora tudo está sendo destruído." Cerca de 90 bombeiros e soldados estão tentando evitar queas chamas cheguem ao local, onde foi instalado um sistemaorganizado de proteção contra incêndio para a Olimpíada de2004. "Não temos água, estamos nas mãos de Deus", disse ummorador de uma vila perto de Olímpia à televisão grega, portelefone. "Por favor digam que estamos apagando o fogo com aspróprias mãos, não temos ajuda. A vila vai desaparecer domapa." A Olímpia antiga tem ruínas do estádio e do templo pagãoque abrigaram os Jogos antigos durante séculos, a partir de 776a.C., Lá também é realizada a cerimônia de acendimento da chamaolímpica a cada dois anos. Os bombeiros locais colocaram em ação os reforços dosparceiros da Grécia na UE, para combater as chamas que seespalham por 160 quilômetros no Peloponeso, na ilha de Evia eperto de Atenas. Dois aviões franceses e um italiano estão jogando água nosfocos ao sul da capital e 60 bombeiros de Chipre estãotrabalhando. Mais ajuda, de pelo menos 11 países, deve chegarainda neste domingo e na segunda-feira. A cinza cobriu o Parthenon e outros templos da Acrópole e ocheiro de fumaça envolveu a capital. Os piores incêndios florestais em décadas começaram nasexta-feira e desde então espalharam-se em vários pontos dopaís. O primeiro-ministro Costas Karamanlis disse que elesforam provocados intencionalmente. (Reportagem adicional de Dina Kyriakidou, George Hatzidakise Renee Maltezou em Atenas)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.