França adota medidas de proteção a oposicionistas sírios no país

A França está adotando medidas para proteger opositores do governo sírio em seu território depois que o principal grupo, o Conselho Nacional Sírio - cujo líder, Burhan Ghalioun, está em Paris -, recebeu ameaças, disse o ministro francês do Interior, Claude Guéant, nesta sexta-feira.

REUTERS

02 de dezembro de 2011 | 08h41

A França havia dito anteriormente que não vai tolerar que a Síria intimide ativistas da oposição em solo francês e iria aumentar a presença policial em futuras manifestações, depois que houve confrontos entre grupos pró e contra o presidente Bashar Assad durante o verão.

Diplomatas sírios em capitais estrangeiras estão promovendo campanhas de intimidação contra dissidentes exilados que protestam diante de embaixadas da Síria, segundo a Anistia Internacional.

"Temos de proteger todos aqueles que possam ser ameaçados... Nós sabemos que o governo sírio é violento e não vai hesitar em recorrer a ameaças, especialmente contra aqueles que poderiam ser chamados a ter um papel no novo movimento democrático sírio", disse Guéant a repórteres, depois de se reunir com o procurador-geral dos EUA, Eric Holder, e a secretária norte-americana de Segurança, Janet Napolitano.

(Por John Irish)

Tudo o que sabemos sobre:
FRANCASIRIAPROTECAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.