França ameaça substituir grevistas em aeroportos antes do Natal

O governo francês cogitava nesta quarta-feira mobilizar a polícia para substituir seguranças aeroportuários em greve, evitando a paralisação de voos às vésperas das festas natalinas.

REUTERS

21 de dezembro de 2011 | 09h07

"Se a greve continuar, o governo dará um jeito para que o serviço normal de transportes seja garantido", disse o ministro dos Transportes, Thierry Mariani, ao canal de TV France 2. "Não podemos mais uma vez ter uma situação em que o povo francês seja impedido de ir para casa ficar com suas famílias."

Ele disse que o auge dos embarques acontece na tarde de quarta-feira e nos dois dias seguintes.

Cerca de 400 policiais foram deixados de prontidão após o fracasso nas negociações com os grevistas, que por sua vez ameaçam ampliar o movimento iniciado na semana passada em aeroportos regionais de Lyon, e que já se espalhou para parte do importante Aeroporto Internacional Charles de Gaulle, nos arredores de Paris.

Até agora, os transtornos foram limitados, com pequenos atrasos em alguns voos, segundo Mariani.

Um assessor do presidente Nicolas Sarkozy, Henri Guaiano, disse que o governo não permitirá que os viajantes sejam "tomados como reféns" numa época tão movimentada, e que não há nada de errado em mobilizar a polícia para substituir os grevistas.

(Reportagem de Brian Love)

Tudo o que sabemos sobre:
FRANCAAEROPORTOSGREVE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.