França autoriza empresas a driblar semana de 35 horas

Governo adota reforma do sistema de bem-estar social e aumentar a jornada de trabalho dos franceses

Associated Press e Agência Estado,

18 de junho de 2008 | 08h38

O governo francês adotou nesta quarta-feira, 18, um plano que autoriza as empresas a driblarem as regras de 35 horas semanais de trabalho de seus funcionários. Trata-se do mais recente esforço do presidente Nicolas Sarkozy para enfraquecer o sistema de trabalho compartilhado introduzido por um governo socialista dez anos atrás.   Veja também:   Parlamento europeu aprova expulsão de imigrantes ilegais   Londres decide se ratifica Tratado de Lisboa   A proposta adotada pelo gabinete de governo mantém o limite legal de horas semanais de trabalho, mas autoriza as empresas a negociarem com os funcionários a possibilidade de eles não participarem do sistema.   Na terça-feira, servidores públicos entraram em greve e sindicatos promoveram manifestações em diversas cidades da França para protestar contra a medida. Sarkozy considera um erro o limite semanal de 35 horas de trabalho, mas não chegou a tentar derrubar a medida.

Tudo o que sabemos sobre:
França

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.