França busca apoio para forças africanas em Mali

A França pediu a outras potências mundiais que se comprometam com dinheiro e apoio logístico para as forças africanas que estão preparando suas tropas para se unirem aos soldados franceses que já estão lutando contra militantes ligados à al Qaeda em Mali.

JOE BAVIER E BATE FELIX, Reuters

19 de janeiro de 2013 | 16h20

O pedido ocorre enquanto líderes africanos se encontram na Costa do Marfim onde espera-se que eles entrem em um acordo sobre detalhes para uma missão regional que deverá assumir o lugar das forças francesas --mas que tem poucos recursos, planejamento e até munição.

A França colocou tropas em terra e seus aviões de guerra bombardearam um posto de rebeldes, impedindo um avanço islâmico. A intervenção busca parar os militantes, evitando que eles se estabeleçam fortemente na zona norte do deserto em Mali, usando a área como um trampolim para ataques na África e no Ocidente.

O ministro francês de Relações Exteriores, Laurent Fabius, disse que as tropas francesas não pretendiam substituir a operação africana.

"Precisamos, o mais rápido possível, fornecer recursos logísticos e financeiros pedidos pelo exército de Mali e (da missão africana)", disse, pedindo aos doadores que estabeleçam compromissos na conferência que ocorre na Etiópia em 29 de janeiro.

Tudo o que sabemos sobre:
FRANCAAPOIOMALI*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.