França dá aprovação à primeira-dama Carla Bruni mas com cautela

Elegante, legal e inteligente, mas aindanão é uma grande primeira-dama. Esse foi o veredito da pesquisade opinião CSA sobre Carla Bruni-Sarkozy publicada nestedomingo pelo jornal francês "Le Parisien". Dois meses depois de ter se casado com o presidente NicolasSarkozy, Carla, que nasceu na Itália, começa a ganhar oscorações dos franceses, com 92 por cento dos entrevistadosdescrevendo-a como elegante, 89 por cento como moderna, 73 porcento como legal e 69 por cento como inteligente. Cerca de 60 por cento acreditam que ela vai ajudar amodernizar a imagem da França e 47 por cento dizem que ela vaipromover a cultura francesa no exterior. No entanto, quando a pergunta é qual primeira dama da eramoderna representou melhor o país, Carla apareceu apenas emsexto lugar entre sete nomes, com índice de 43 por cento contra81 por cento de Bernadette Chirac, a esposa do últimopresidente francês. A única primeira-dama que ficou em posição pior do que a deCarla é a ex-mulher de Sarkozy, Cecilia, que se divorciou dopresidente cinco meses após ele ter assumido o cargo. Sua taxade aprovação foi de 36 por cento. Carla manteve a discrição após seu casamento secreto com opresidente em fevereiro, mas começou a emergir das sombrasnotavelmente durante a visita de Estado no mês passado ao ReinoUnido, onde seu estilo ganhou atenção. Apenas 30 por cento dos entrevistados na pesquisa dedomingo acreditam que ela ajudará a melhorar a imagem de seumarido. A popularidade de Sarkozy despencou no ano passado, emparte devido à sua turbulenta vida pessoal, caindo para menosde 40 por cento. (Reportagem de Crispian Balmer)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.