França detecta novo vazamento em planta nuclear

A Areva, empresa nuclear francesa,detectou um vazamento de urânio em uma fábrica no sudeste daFrança, disse o órgão de segurança francês na sexta-feira. O órgão de segurança disse ter enviado uma equipe deespecialistas para checar a situação no local, emRomans-sur-Isere, mas não deu nenhuma indicação das dimensõesdo vazamento, revelado na quinta-feira. Areva, empresa estatal que faz reatores nucleares e lidacom urânio, disse que o vazamento está restrito ao local e nãooferece risco ao meio-ambiente. "O duto defeituoso foi desativado por nossas equipes",informou a Areva em comunicado, acrescentando que esse dutoliga uma oficina onde se faz combustível a uma estação detratamento de urânio. A notícia do vazamento veio apenas um dia depois do governoter exigido testes em todas as 19 usinas nucleares francesas,medida tomada devido à revelação, feita pela Areva, de queurânio líquido não-enriquecido tinha vazado acidentalmente emoutra área do sudeste do país. A Areva disse à autoridade de segurança ASN que o vazamentomais recente aconteceu devido a uma rachadura "de anos deidade" em um duto subterrâneo que transportava uraânio líquido. "A Areva vai começar a limpeza da área afetada no dia 18 dejulho", disse a ASN em um comunicado, acrescentando que osdutos pareciam não atender às normas de segurança. A ASN criticou a Areva pela maneira como lidou com ovazamento anterior em Tricastin, afirmando que a empresademorou a comunicar o problema e tomou medidas de segurançainsatisfatórias.A notícia de um novo vazamento é uma saia justa para a Areva,protagonista dos planos do presidente Nicolas Sarkozy de vendertecnologia em energia nuclear ao resto do mundo. (Reportagem de Muriel Boselli e Benjamin Mallet)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.