França diz que sequestro não impedirá novos ataques contra o Estado Islâmico

A tomada de um refém francês na Argélia não deterá a participação francesa em uma coalizão de países liderada pelos Estados Unidos contra militantes do Estado Islâmico, que tomaram grandes áreas de território no Iraque e na Síria, disse o ministro das Relações Exteriores da França nesta segunda-feira.

REUTERS

22 de setembro de 2014 | 19h51

"Faremos tudo que pudermos para libertar os reféns", afirmou o chanceler Laurent Fabius a jornalistas. "Mas um grupo terrorista não pode mudar a posição da França."

Um cidadão francês foi sequestrado no leste da Argélia no domingo, disse o Ministério das Relações Exteriores da França. Seus sequestradores divulgaram um vídeo ameaçando matá-lo se a França não interromper sua intervenção no Iraque em apoio a uma campanha de bombardeios dos EUA contra militantes do Estado Islâmico.

(Reportagem de Arshad Mohammed)

Tudo o que sabemos sobre:
FRANCASEQUESTRONAOPARA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.