França fecha embaixada na Síria; espera decisão da ONU para agir

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, disse nesta sexta-feira que a França fechará sua embaixada na Síria por causa da repressão aos opositores do presidente Bashar al-Assad e que estava pronto para aumentar o seu apoio aos rebeldes se a Organização das Nações Unidas permitir.

REUTERS

02 de março de 2012 | 09h12

"Não faremos nada sem uma resolução do Conselho de Segurança da ONU", afirmou Sarkozy em entrevista coletiva numa cúpula europeia em Bruxelas, destacando que a França apoiava a criação de uma zona humanitária perto da fronteira síria.

"Não há discussão sobre agir direta ou indiretamente a menos que o conselho estabeleça condições legais para uma zona humanitária, para entrega de armas para a oposição ou para corredores."

Ele disse que era "frustrante quando você vê as mortes aumentando", mas alertou que os perpetradores de crimes contra a humanidade seriam levados para as cortes criminais internacionais, disse o presidente.

"Ditadores terão todos, um dia, que pagar por suas ações", ressaltou Sarkozy.

(Por Emmanuel Jarry)

Tudo o que sabemos sobre:
FRANCASIRIAEMBAIXADA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.