França mantém ataques em Mali e envia tropas para a capital

As forças francesas, pelo segundo dia, fizeram ataques aéreos contra rebeldes islâmicos no Mali neste sábado e enviaram tropas para proteger a capital Bamako, em uma operação que envolve centenas de soldados, informou o ministro da Defesa Jean-Yves Le Drian.

Reuters

12 de janeiro de 2013 | 10h43

Um piloto francês foi morto na sexta-feira quando seu helicóptero foi abatido durante um ataque aéreo perto da cidade central de Mopti, enquanto a França começava a operação para ajudar o governo de Mali a conter os rebeldes que controlam a maior parte do norte, disse ele.

A operação visou uma coluna de rebeldes liderados por Mopti, disse ele.

"Nesta luta intensa, infelizmente, um dos nossos pilotos... foi fatalmente ferido. Ele foi levado para o centro médico mais próximo antes de morrer por causa de seus ferimentos", disse Le Drian, em entrevista coletiva.

Ele disse que a França enviou forças especiais a Mopti para preparar o terreno e posteriormente encaminhou "várias centenas" de tropas a Bamako na sexta-feira, para proteger a capital.

A França tinha adicionais caças Rafale em modo de espera, Le Drian disse.

O ministro disse ainda que um ataque por forças francesas na Somália para tentar resgatar um agente secreto francês mantido refém desde 2009 não estava ligada à intervenção Mali. O refém, Denis Allex, acredita-se que tenha morrido no ataque, juntamente com um soldado, ele disse. Um segundo soldado estava desaparecido.

Tudo o que sabemos sobre:
FRANCAMALI*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.