França negocia com Emirados Árabes venda de jatos de combate

A francesa Dassault negocia com os Emirados Árabes uma possível encomenda de seus jatos de combate Rafaele, disse a companhia neste sábado, no que seria a primeira venda do avião para uma comprador estrangeiro.

REUTERS

23 de maio de 2009 | 16h40

O jornal Le Parisien divulgou neste sábado que a França finalizava uma venda de 60 jatos Rafaele num negócio que valeria de 8 bilhões a 11 bilhões de dólares.

Segundo o jornal, o próprio presidente francês, Nicolas Sarkozy, apoiaria a transação numa visita que fará na segunda e na terça-feira a Abu Dhabi.

A Dassault não comentou as quantias e afirmou que um acordo pode sair neste ano.

"Há negociações, mas ainda vão demorar um pouco. Não estamos perto de finalizá-las", disse um porta-voz da companhia.

O Le Parisien publicou que o contrato sendo discutido pode ser de anos. Segundo o jornal, o Rafaele, desenvolvido anos atrás, teria que ser incrementado para convencer os compradores.

O gabinete de Sarkozy afirmou que os laços entre os governos, os fabricantes do Rafaele e a força aérea dos Emirados Árabes se tornaram mais fortes desde que o país árabe anunciou o seu interesse nos jatos no ano passado.

A França até agora não conseguiu encontrar um comprador internacional para o Rafaele, o mais sofisticado jato de combate francês, que tem ficado para trás em comparação com jatos mais baratos com menos tecnologias.

(Reportagem por Laure Bretton)

Tudo o que sabemos sobre:
FRANCAEMIRADOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.